Fim dos atalhos.
Início do topo.
Fim do topo.
 
Veja como foi a premiação do Solve For Tomorrow 2021 e conheça os vencedores

Veja como foi a premiação do Solve For Tomorrow 2021 e conheça os vencedores

Flávia Siqueira
24/11/2021
Compartilhar:

Os projetos vencedores da 8ª edição do Prêmio Respostas para o Amanhã – iniciativa brasileira do Solve for Tomorrow, programa global da Samsung, com coordenação geral do Cenpec – foram anunciados no dia 18 de novembro durante um evento de premiação realizado em São Paulo e transmitido pelo YouTube da Samsung Brasil e do Prêmio Respostas para o Amanhã.

A cerimônia foi apresentada pelo professor João Luiz Pedrosa, com reportagem especial de Nath Monteiro, participação da influenciadora e embaixadora da Samsung Juju Franco e experiências realizadas ao vivo pelo grupo Ciência em Show. Veja como foi:

A abertura da cerimônia teve a participação de Isabel Costa (foto), gerente de cidadania corporativa da Samsung Brasil, que destacou a qualidade dos projetos selecionados e o papel transformador da educação. “Nesta oitava edição do programa no Brasil, nós nos deparamos com os mais diversos projetos. Em muitos casos, esses projetos foram desenvolvidos em regiões de difícil acesso ou com pouca infraestrutura. Ainda assim, alunos e professores uniram o conhecimento à curiosidade pelo novo e à vontade de mudar o mundo.”

Dirigindo-se aos(às) estudantes das equipes finalistas, Isabel falou também sobre o trabalho científico na prática: “não se trata de mudar o mundo da noite para o dia, mas trilhar novos caminhos. A realidade de um profissional da ciência é o que muitos de vocês vivenciaram: observar, pensar, discutir, testar e principalmente errar. Errar e errar, até acertar e aprender. Sei que alguns de vocês se sentiram até frustrados quando um teste não deu certo, mas vocês persistiram e por isso estão aqui hoje, mostrando a capacidade de superar qualquer barreira.”

Ciência cidadã
A cerimônia também teve a participação de Anna Helena Altenfelder (foto), presidente do Conselho de Administração do Cenpec, instituição responsável pela coordenação geral da iniciativa. “O Prêmio tem sido muito importante ao dialogar com os principais desafios do ensino médio, que envolvem a motivação e o interesse dos alunos pelas atividades escolares. Ao desafiar os jovens a pensar em uma solução para um problema da comunidade, o Prêmio tem esse potencial.”

Anna Helena também destacou que o Solve for Tomorrow aponta caminhos para enfrentar o problema da evasão escolar, promovendo a vinculação do conhecimento com a realidade, e coloca em pauta a valorização do saber e do método científico. “Vivemos um momento de grave descaso com a ciência, e o Prêmio traz exatamente o contrário disso: traz a valorização da ciência e mostra sua importância para a atuação cidadã.”

“O Cenpec tem como missão o enfrentamento das desigualdades educacionais”, prosseguiu Anna Helena. “E o Prêmio Respostas para o Amanhã nos ajuda nessa missão, pois alcança territórios bastante vulneráveis, em áreas urbanas e rurais. Os alunos e alunas desses locais participam e são muito bem sucedidos em seus projetos.”

Outra participação foi a de Fábio Eon (foto), coordenador de Ciências Humanas e Sociais e Ciências Naturais da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) no Brasil, instituição parceira do Prêmio. “Investir em ciência é investir no futuro do nosso país. É por isso que isso precisa ser feito desde cedo, já na escola”, destacou ele. “A Unesco se sente muito feliz e honrada por participar da edição 2021 do Prêmio Respostas para o Amanhã, uma iniciativa da Samsung no Brasil que visa reconhecer projetos escolares e inovadores de iniciação científica. Então, convido todas e todos a conhecer os projetos e celebrar essas iniciativas premiadas.”

Conheça os vencedores
Seis dos dez projetos finalistas foram premiados. Houve, ainda, uma menção honrosa. Confira a lista completa de vencedores, as sinopses dos projetos e os vídeos produzidos por cada uma das equipes: 

Vencedores pelo Júri Popular

Desenvolvimento de um bioplástico a partir da fibra do caroço da manga

A elevada produção e o grande consumo de materiais plásticos, associados ao descarte inadequado, geram consequências nocivas ao meio ambiente. Como alternativa, a equipe buscou desenvolver um bioplástico a partir da fibra extraída do caroço de manga e do amido. O objetivo é criar produtos biodegradáveis e resistentes.

Professora orientadora: Schana Andréia da Silva
Equipe da turma: 4º ano Integrado - Turma 1411
Instituição de ensino: Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha
Cidade: Novo Hamburgo
Estado: RS

Projeto descastanhador Môsa

Em Ocara (CE), o processo de extração da castanha de caju – principal fonte de renda para grande parte da comunidade local – coloca em risco a saúde dos trabalhadores. Para melhorar essa situação, a equipe projetou um mecanismo que permite realizar a extração da castanha em ambiente doméstico, de forma mais rentável, rápida e segura.

Professora orientadora: Maria Hilma Muniz Bezerra
Equipe da turma: 2º ano A - Administração
Instituição de ensino: EEEP Maria Môsa da Silva
Cidade: Ocara
Estado: CE

Reabilitação pulmonar alternativa/baixo custo a pacientes curados de SARS-CoV2

Muitos pacientes curados de Covid-19 precisam de acompanhamento para se recuperar das sequelas respiratórias deixadas pela doença, mas a fila de espera pelo tratamento no sistema público de saúde pode ser grande – e a demora pode tornar as sequelas permanentes. Após identificar e estudar o problema, a equipe elaborou um equipamento alternativo de fisioterapia pulmonar de baixo custo e uso doméstico em parceria com a Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus Chapecó, que conta com um grupo multidisciplinar de docentes e estudantes de graduação e pós-graduação atuando em pesquisas sobre Covid-19.

Professor orientador: Oeliton Vieira Fortes
Professora parceira: Marilita Dias Duarte
Equipe da turma: 3° ano 306
Instituição de ensino: EEB Bom Pastor
Cidade: Chapecó
Estado: SC

 

Vencedores Nacionais

1º lugar: TESLA - Reaproveitamento de resíduos orgânicos para a produção de biogás

Com o objetivo de reaproveitar as sobras de comida da escola, a equipe propõe transformá-las em biogás, a ser utilizado na cozinha da instituição. Para isso, projetou um biodigestor (equipamento que acelera a decomposição da matéria orgânica) a partir de materiais de baixo custo. O grupo também elaborou um aplicativo para ajudar as merendeiras a calcular a quantidade de comida e reduzir o desperdício.

Professora orientadora: Barbara Daniela Guedes Rodrigues
Professora parceira: Isabel Cristina Santana Kakuda
Equipe da turma: 2º ano B
Instituição de ensino: EE Professor Sebastião de Oliveira Rocha
Cidade: São Carlos
Estado: SP

2º lugar: Sistema solar de purificação de água

Muitas famílias brasileiras dependem da água retirada de fontes subterrâneas, que costuma apresentar alta salinidade e contaminantes – o que acaba limitando suas possibilidades de uso. Pensando nisso, a equipe elaborou um sistema de purificação de água baseado nos processos naturais do ciclo hidrológico e no uso de energia solar. A qualidade da água pode ser monitorada por um sistema desenvolvido em plataforma Arduino.

Professor orientador: Raimundo Nonato Lima Junior
Equipe da turma: 2º ano - A2 - Técnico Integrado em Química
Instituição de ensino: IFCE Campus Crateús
Cidade: Crateús
Estado: CE

3º lugar: Carun-XÔ: uma alternativa na caatinga para o combate aos carunchos

Na agricultura de subsistência, o ataque de pragas causa muitos problemas. Uma das mais conhecidas e agressivas na região Nordeste é o caruncho, que perfura os grãos e os destrói. A equipe pesquisou o uso do óleo do coco catolé como inseticida e a viabilidade de produzi-lo a partir de um método artesanal, acessível às famílias da região.

Professor orientador: Gustavo Santos Bezerra
Equipe da turma: 1º ano - EMSI1TIA
Instituição de ensino: Escola Dario Gomes de Lima
Cidade: Flores
Estado: PE

 

Menção Honrosa

Extratos vegetais e biofilme orgânico: uma alternativa sustentável

A conservação de frutas e hortaliças, altamente perecíveis, é um desafio em todas as fases da cadeia de produção e distribuição agrícola. Com o objetivo de reduzir a perda de alimentos, a equipe testou um biofilme natural que age como conservante e um extrato orgânico capaz de diminuir o uso de agroquímicos. A ideia é criar um produto viável para aplicação em massa e comercialização.

Professora orientadora: Dioneia Schauren
Equipe da turma: 1º ano A
Instituição de ensino: C E EF M Profis Jardim Porto Alegre
Cidade: Toledo
Estado: PR

 

Clique aqui para assistir à playlist com os vídeos dos dez projetos finalistas de 2021. 

Leia também:

Diário de Bordo: que tal registrar mais do que o percurso técnico de um projeto?
Mentoria da 8ª edição do Prêmio Solve for Tomorrow, da Samsung, convidou as equipes a documentar decisões, progressos e vivências

Sustentabilidade é tema de destaque entre os semifinalistas da 8ª edição
As ações selecionadas propuseram respostas tanto para problemas locais (com destaque para o desenvolvimento sustentável) quanto globais (como o combate à pandemia de Covid-19)

TAGS: Prêmio Projetos científicos Comunidade Inovação

Comentários

Comentários