Início dos atalhos. Fim dos atalhos.
Início do topo.
Fim do topo.

Projetos vencedores da 2ª edição

Grande Vencedor

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE DA MORINGA OLEÍFERA NO TRATAMENTO DA ÁGUA NA ZONA RURAL
Profª Ayanda Ferreira Nascimento Lima
Colégio Estadual Dom Veloso
Itumbiara (GO)

Vencedor pelo Júri Popular

A REUTILIZAÇÃO DO PÓ DA MADEIRA EM FORRO ACÚSTICO EM TETOS DE SERRARIAS
Prof. Ivanês Oliveira Alexandrino
EE Tristao de Barros Ensino Fundamental e Médio
Currais Novos (RN)
 

Vencedores Nacionais 2015

UTILIZAÇÃO D'ÁGUA NÃO POTÁVEL NA PRODUÇÃO DE FERTILIZANTE LÍQUIDO ORGÂNICO
Prof. Marcos Deames Araújo Silva
EEEP Guilherme Teles Gouveia
Granja (CE)
BIODIGESTOR ANAERÓBICO
Prof. Adair José Pereira
EE Pedro Neca
Porto Esperidião (MT)
PRODUÇÃO DE PESCADO CONSORCIADA À HIDROPONIA E ENERGIA SOLAR NO QUILOMBO ETE ENG AGRÔNOMO NARCISO DE MEDEIROS
Prof. Paulo Bezerra da Silva Neto
ETEC Eng. Agrônomo Narciso de Medeiros
Iguape (SP)
 

Menção Honrosa

DA HORTA MANDALA À AGROINDÚSTRIA FAMILIAR: "SABERES E SABORES DO CAMPO"
Profª Gisela Bueno Lazzari
Colégio Estadual Duque de Caxias
São Mateus do Sul (PR)
RIO JABURU: SUAS MARGENS, MINHA VIDA!
Profª Joselândia Oliveira Ferreira
EEEP Governador Waldemar Alcântara
Ubajara (CE)
 

Vencedores Regionais - Região Norte

A REUTILIZAÇÃO DO PÓ DA MADEIRA EM FORRO ACÚSTICO EM TETOS DE SERRARIAS
Prof. Ivanês Oliveira Alexandrino
EE Tristao de Barros Ensino Fundamental e Médio
Currais Novos (RN)
O impacto ambiental do grande número de serrarias foi o que mobilizou os alunos a desenvolverem um projeto que transformasse o pó de serra em bloquetes prensados para serem utilizados como forro isolante acústico e térmico no teto das próprias serrarias. Além dos bloquetes de madeira, os alunos criaram o “siroco”, aspirador adaptado que aspira o pó no ato da serragem.
PRATICANDO AMOR PELA NATUREZA UTILIZANDO SISTEMAS AGROFLORESTAIS (SAF) NA ESCOLA
Ana Patricia Oliveira dos Santos
EEEP Lucas Emmanuel Lima Pinheiro
Iguatu (CE)
Desenvolver sistemas agroflorestais nos sítios Carnaúba e Santa Rosa é a proposta deste projeto com o objetivo de promover o uso adequado do solo e dos recursos naturais. Com esta ação os alunos pretendem reverter a degradação causada pela agricultura tradicional, utilizando o conhecimento aprendido em sala de aula para melhoria da vida no campo.
UTILIZAÇÃO D'ÁGUA NÃO POTÁVEL NA PRODUÇÃO DE FERTILIZANTE LÍQUIDO ORGÂNICO
Prof. Marcos Deames Araújo Silva
EEEP Guilherme Teles Gouveia
Granja (CE)
Produção de fertilizante orgânico líquido a partir de reuso da água gerada nos equipamentos de ar condicionado e da água salina encontrada no poço da escola é a ideia desse projeto. A proposta é associar matéria orgânica à água de baixa qualidade com o objetivo de fornecer nutrientes aos vegetais.
RIO JABURU: SUAS MARGENS, MINHA VIDA!
Profª Joselândia Oliveira Ferreira
EEEP Governador Waldemar Alcântara
Ubajara (CE)
O Rio Jaburu é a principal nascente do açude Jaburu I, responsável por abastecer toda a Serra da Ibiapaba e algumas cidades do sertão nordestino. No entanto, suas margens vêm sofrendo assoreamento nos últimos anos. A partir de um estudo diagnóstico sobre os impactos ambientais no manancial, a proposta dos alunos é recompor a mata ciliar e sensibilizar a população ribeirinha para a recuperação das margens do Rio Jaburu.
 

Vencedores Regionais - Região Nordeste

DEFENSIVO NATURAL: UMA PROPOSTA DE ALIMENTOS SAUDÁVEIS
Profª Annie Priscilla Martel Barbosa
EE Prof Maria Cristina B. Rodrigues
Porto Grande (AP)
Substituir o uso de agrotóxicos por defensivos naturais foi o que mobilizou os alunos da zona rural do Amapá a pesquisarem e desenvolverem um defensivo a base de alho e arruda. A partir de testes realizados nas hortas de suas próprias famílias, os alunos constataram que nas áreas onde foi aplicado o defensivo natural não houve danos causados por pragas ou bactérias nos legumes e hortaliças, produzindo um alimento orgânico mais saudável.
LIXO DAS MARÉS
Prof. Tiago Lopes Ciências Experimentais e teóricas – 1º ano
EEEFM Mário Barbosa
Belém (PA)
Na tentativa de amenizar o uso de sacolas plásticas e os transtornos causados pelo seu descarte inapropriado, a proposta dos alunos é construir lixeiras biodegradáveis com papel reciclado. Para isto estabeleceram parcerias locais e pesquisaram vários materiais sustentáveis como caixas de papel e cola a base da goma da tapioca. Desta forma pretendem mobilizar a comunidade para adotar lixeiras sustentáveis e ao mesmo tempo. Conscientiza-la sobre a importância do descarte adequado de resíduos.
O BAMBU COMO ALTERNATIVA PARA CONTER A EROSÃO DO RIO ACRE
Profª Marineide Adativa Ferreira
E Doutor João Batista Aguiar
Rio Branco (AC)
Preocupados com as enchentes que atingem a comunidade ribeirinha de Rio Branco, os alunos desta escola, que serve de abrigo aos alagados, pesquisaram sobre o uso do bambu no combate à erosão. De fácil manuseio, o bambu cresce rapidamente, é resistente e ajuda a amenizar a temperatura devido sua estrutura oca e de fibras. Após pesquisa de campo na cidade e em lugares onde havia bambu, os alunos comprovaram que as raízes desta planta ajudam na contenção das margens dos rios.
REPELENTE DE ANDIROBA (CARAPA GUIANENSIS AUBL.) E CUMARU (DIPTERYX ODORATA)
Profª Célia Maria Serrão Eleutério
EE Senador João Bosco
Parintins (AM)
O inseto carapanã (Culex) e o mosquito da dengue (Aedes aegypti) estão ameaçando a saúde da comunidade rural de São Pedro do Parananema, na região Amazônica. Para minimizar a incidência destes insetos, o projeto propõe utilizar o Cumaru (Dipteryx odorota) e a Andiroba (Carapa guianensis Aubl.) na produção de velas repelentes, promovendo um diálogo entre o saber popular e a Ciência Química.
 

Vencedores Regionais - Região Centro-Oeste

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE DA MORINGA OLEÍFERA NO TRATAMENTO DA ÁGUA NA ZONA RURAL
Profª Ayanda Ferreira Nascimento Lima
Colégio Estadual Dom Veloso
Itumbiara (GO)
Melhorar a saúde pública da zona rural de Itumbiara no combate de parasitoses pelo consumo de água não tratada é a proposta do projeto. Por meio da experimentação científica, os alunos identificaram o potencial antimicrobiano das sementes da Moringa oleífera validando sua eficácia na redução de bactérias presentes na água.
TRANSFORMERS - RENOVANDO A SUCATA EE DES MILTON ARMANDO POMPEU DE BARROS
Elisangela Mazei da Silva Santos
EE Desmilton Armando Pompeu de Barros
Colíder (MT)
Preocupados com o descarte de dispositivos eletrônicos no lixão da cidade, os alunos desenvolveram este projeto que envolve desde a coleta do material na comunidade até a recuperação do lixo, dando-lhe uma nova função. Os materiais que não são reutilizados são armazenados para a coleta posterior pelo governo, evitando assim, o despejo inapropriado nos aterros ou lixões da região.
BIODIGESTOR ANAERÓBICO
Prof. Adair José Pereira
EE Pedro Neca
Porto Esperidião (MT)
A criação de um biodigestor anaeróbico para substituir o fogão a lenha é a proposta deste projeto, que transforma resíduos em matéria-prima para o processo de fermentação, base para a produção de biogás. Além de combater o desmatamento e a emissão de gazes poluentes, o biodigestor gera energia limpa, renovável e com baixo custo e ainda produz um biofertilizante para a produção de hortaliças.
UM POMAR PRA CHAMAR DE MEU!
Profª Aline Ferreira Santos Arruda
CE Perilo Rodrigues de Moura
Inaciolândia (GO)
A proposta dos alunos é proporcionar um lugar agradável para ser compartilhado entre a escola e a comunidade. Para isso estão desenvolvendo diferentes iniciativas, entre elas destacam-se o plantio de mudas de árvores frutíferas típicas do Cerrado, a criação de um grupo em rede social a fim de articular as doações das mudas e organizar os cuidados com o pomar e a realização de bazares para contribuir com a sustentabilidade financeira do projeto.
 

Vencedores Regionais - Região Sudeste

COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS: REAPROVEITANDO O QUE SERIA DESCARTADO ETE PREFEITO JOSE ESTEVES
Prof. José Augusto Silva Rocha
ETEC Prefeito José Esteves
Cerqueira César (SP)
Com o objetivo de amenizar o desperdício de alimentos nas feiras-livres e demais estabelecimentos comerciais, este projeto propõe transformar os alimentos descartados em ração para os cães de um abrigo de animais da cidade. Além de mobilizar a comunidade para a doação de restos de alimentos, os alunos ministrarão um mini curso para disseminar o conhecimento obtido e qualificar os voluntários que trabalham no abrigo na produção de uma ração balanceada.
PRODUÇÃO DE PESCADO CONSORCIADA À HIDROPONIA E ENERGIA SOLAR NO QUILOMBO ETE ENG AGRÔNOMO NARCISO DE MEDEIROS
Prof. Paulo Bezerra da Silva Neto
ETEC Eng. Agrônomo Narciso de Medeiros
Iguape (SP)
Contribuir com a sustentabilidade da comunidade quilombola do Rio Una da Aldeia é a proposta dos alunos de Iguape. Por meio da implantação de um sistema intensivo de criação de peixes, consorciado com a produção de verduras hidropônicas utilizando apenas a energia solar, o projeto está sendo replicado pelos moradores sob orientação dos alunos, para melhorar a produção de alimentos e a geração de renda das famílias quilombolas.
FILTRO RECICLÁVEL COM CARVÃO ATIVADO DE COCO
Profª Taís Belan dos Santos
ETEC Profª Carmelina Barbosa
Dracena (SP)
Preocupados com o descarte de efluentes domésticos, os alunos desenvolveram um filtro com carvão ativado do mesocarpo do coco para filtrar a água descartada na lavagem de roupas. O projeto ao mesmo tempo que transforma o resíduo que seria lixo num filtro, filtra a água descartada para reutilizá-la em outros ambientes domésticos.
RECUPERAÇÃO DA MATA CILIAR DO RIO RIBEIRÃO DOBRADA
Roberta Seixas
Antônio Comar Vereador
Dobrada (SP)
Com o objetivo de reconstituir a mata ciliar do Rio Ribeirão Dobrada, no interior de São Paulo, os alunos desenvolveram este projeto que engloba um conjunto de ações: registrar os relatos dos antigos moradores, fazer um diagnóstico das áreas afetadas e da fauna, pesquisar a legislação ambiental e articular-se com o poder público e privado a fim de potencializar e ampliar as ações do projeto.
 

Vencedores Regionais - Região Sul

GERAÇÃOSUSTENTÁVELELZA+ COMUNIDADE
Prof. Cristian Eduardo da Silva
EEM Profª Elza Henriqueta T Pacheco
Blumenau (SC)
A proposta do projeto é tornar a escola uma referência em sustentabilidade para toda a comunidade. Como um espaço educador sustentável, várias ações foram realizadas na escola tais como: a construção de uma horta, de uma cisterna para captação da água da chuva e de uma composteira de resíduos orgânicos. Estas ações promovem a destinação adequada dos resíduos sólidos, a eficiência energética e o uso racional da água.
DA HORTA MANDALA À AGROINDÚSTRIA FAMILIAR: "SABERES E SABORES DO CAMPO"
Profª Gisela Bueno Lazzari
Colégio Estadual Duque de Caxias
São Mateus do Sul (PR)
Filhos de agricultores da região, os alunos deste projeto estudam em regime de alternância, passam uma semana na escola e outra na propriedade familiar, aplicando os conhecimentos aprendidos em sala de aula. O projeto busca alternativas agroecológicas e socialmente adaptadas para melhorar a vida no campo, contribuindo para a produção de alimentos de qualidade e de serviços ambientais essenciais, como água e biodiversidade.
SEMENTES DE IMBUIA: PRESERVANDO A ÁRVORE SÍMBOLO DE SANTA CATARINA
Denise Wernke Knaul
EEB Frei Manoel Philippi
Imbuia (SC)
Relacionar cultura, educação e ciências em prol da preservação da árvore símbolo de Santa Catarina, a Imbuia, é a proposta deste projeto. No município de Imbuia, no sul do país, já quase não se encontra mais a espécie nativa Ocotea porosa, que deu nome à cidade. Como solução, os alunos pretendem coletar as sementes das matrizes no próprio pátio da escola e construir um viveiro de mudas para replanta-las pela cidade.
AQUECEDOR SOLAR DE MATERIAIS RECICLÁVEIS: UMA FORMA DE ENERGIA LIMPA EE EDUCACAO BASICA PALMEIRA DAS MISSOES
Profª Giovana Taline Quntzel Gaier
EEEB Palmeira das Missões
Palmeira das Missões (RS)
Ao se depararem com a grande quantidade de garrafa PET descartada na cantina da escola e em suas próprias casas e das caixas Tetra PAK não utilizadas pela usina de reciclagem do município, os alunos desenvolveram um aquecedor solar com o uso destes materiais para abastecer a escola com água aquecida. A proposta contribuiu para diminuir o consumo de energia da escola gerando energia limpa e de baixíssimo custo, forma alternativa e sustentável, exemplo para toda comunidade.

Conheça os projetos vencedores nas outras edições: