Início dos atalhos. Fim dos atalhos.
Início do topo.
Fim do topo.
 
Construção de conhecimentos e interação marcam a mentoria aos finalistas

Construção de conhecimentos e interação marcam a mentoria aos finalistas

Tamara Castro
29/10/2020
Compartilhar:

De 7/10 a 17/11, os 10 projetos finalistas do Respostas para o Amanhã recebem mentoria técnica para aprimoramento de seus modelos ou protótipos. Em ambiente on-line, especialistas em ensino de Ciências, Matemática e Tecnologia têm se reunido com as equipes a fim de suscitar reflexões sobre temas e questões importantes para o Prêmio, indicando materiais de estudo e respondendo dúvidas dos estudantes e professores. 

Novidade da 7a edição, a mentoria é mais um investimento na dimensão formativa do Prêmio.

"A visão global da Samsung em cidadania corporativa é Together for Tomorrow! Enabling People, o que coloca os professores como principais pilares da educação. Reconhecendo os desafios atuais, fornecemos recursos adicionais através de mentorias técnicas, considerando o caráter formativo a que se propõe o Prêmio: ser uma estratégia global baseada em criar oportunidades educacionais aos estudantes. Contamos com especialistas para indicar estruturas, ferramentas e metodologias de aprendizagem baseada em projetos dentro de um ambiente virtual. Ficamos satisfeitos ao ver a adaptação de educadores e alunos desde o início, já que, mesmo em um cenário de distanciamento social, o programa atraiu 1749 estudantes, 997 professores e 303 escolas públicas diferentes somente nesta 7a edição brasileira”, celebra Isabel Costa (foto acima), Gerente de Cidadania Corporativa da Samsung Brasil.

“A mentoria vem ampliar e qualificar ainda mais nossas ações formativas, atendendo aos objetivos de contribuir para aformação científica dos estudantes do ensino médio da rede pública e para a valorização docente e a formação continuada dos professores”, explica Ana Cecília Chaves Arruda (foto ao lado), coordenadora do programa pelo CENPEC Educação.

Esse acompanhamento ocorreu em dois momentos: o primeiro, em setembro, para os 20 semifinalistas, com o objetivo de apoiar os professores no detalhamento do projeto, e orientar as equipes a aprofundarem a reflexão sobre o projeto inicial. 

Nessa fase, cada equipe foi provocada a refletir se a solução pensada inicialmente era de fato a melhor para a situação-problema escolhida, além de verificar se sua realização seria viável e possível dentro do cronograma definido. Os professores e estudantes também participaram de dois webinários com especialistas acerca de princípios da cocriação e de prototipagem.

“A mentoria contribuiu para revisitar a proposta inicial, a pergunta investigativa, os objetivos do projeto, o detalhamento de procedimentos metodológicos e o refinamento da ideia do protótipo”, observa Juliana Gonçalves (foto ao lado), técnica do CENPEC Educação.

Agora, as 10 equipes finalistas estão recebendo mentoria para avançar no desenvolvimento dos protótipos, além de orientações sobre a produção dos vídeos para a votação popular, em novembro,  e sobre a apresentação na I Mostra Respostas para o Amanhã, em que a Comissão Avaliadora selecionará os três projetos vencedores nacionais.

Já para os professores, o percurso formativo foca na reflexão sobre a prática educativa. Um dos webinários voltados aos educadores foi apresentado pela especialista em STEM, Mariana Lorenzin, que discutiu o ensino de Ciências e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “Além disso, os docentes terão apoio na elaboração de seus planos de aula para publicação de sua experiência no Banco de Práticas do Respostas para o Amanhã”, revela Ana Cecília. 


Ensino de Ciências, abordagem STEM e BNCC

O percurso formativo organizado na mentoria aos finalistas inclui reuniões virtuais semanais entre mentor(a) e equipe, webinários com especialistas em diferentes temas, além de momentos e ambientes para compartilharem materiais formativos, ideias e experiências.

O objetivo é contribuir para que as equipes realizem as atividades previstas neste período: 

  • avançar no desenvolvimento dos protótipos - a meta é desenvolver um protótipo com demonstração de funcionalidades;
  • realizar sua apresentação em formato PITCH para a I Mostra RPA; 
  • produzir um vídeo apresentando o projeto para votação do Júri Popular.

Segundo Mariana Lorenzin (foto abaixo), bióloga especialista em abordagem STEM e mentora pedagógica geral dos professores, a ideia é que essa formação vá além do âmbito do Prêmio, para que os conhecimentos construídos beneficiem muitos outros estudantes.

"A mentoria é formativa tanto para os jovens, que ampliam seu repertório para desenvolver seus protótipos, como para os docentes, que podem refletir sobre os temas, suas práticas e tecer o diálogo entre os conceitos e a realidade de sua sala de aula”, afirma a especialista. 

"Entre os conceitos discutidos com os docentes, está a abordagem STEM, que foi um critério de classificação dos projetos. Todos eles trazem esse diálogo entre a Ciência, a Matemática, a Engenharia e a Tecnologia de forma aplicada à solução de problemas reais identificados pelas equipes no seu contexto por meio da investigação científica e da prototipagem", explica Mariana.

Para o químico Thiago Rafalski Maduro (foto abaixo), que realiza a mentoria de uma das equipes finalistas, no percurso formativo proporcionado pelo RPA, professores e alunos têm a oportunidade de participar de um processo de aprendizagem diferente, pela imersão na abordagem STEM. “Eles se envolvem em uma série de discussões temáticas e podem pôr em prática conceitos de prototipação, adequações e melhorias de seus próprios projetos”, conta Thiago, que é mestre em ensino na educação básica e, desde 2008, leciona no Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes).

“O Prêmio traz à tona uma prática educativa colaborativa entre professores e alunos que estimula o protagonismo estudantil para o desenvolvimento de projetos que ‘saem da caixinha’, uma prática que deixa de ser (quando acontece) uma simples reprodução de experimentos de bancada para se tornar a materialização de propostas que podem ser originais dos alunos aplicando conceitos de várias disciplinas. Dessa forma, o Respostas para o Amanhã estimula um avanço necessário no processo escolar de nosso país, pois professores e alunos participantes da mentoria promovem questionamentos e críticas locais que poderão transformar a prática de outros professores e alunos”, reflete o educador.


Interação e troca de ideias e experiências

A mentoria tem proporcionado a construção e troca de conhecimentos, por meio de um percurso formativo baseado em uma abordagem contextualizada nos desafios das equipes.

Embora apresente variações de acordo com as especificidades de cada projeto, há uma estrutura básica de conteúdos e atividades oferecidos a todos os grupos. “A equipe técnica construiu um roteiro comum, orientador do trabalho dos mentores. Tivemos a preocupação em oferecer a mesma oportunidade de aprendizagem tentando favorecer o aprimoramento dos projetos em apenas um mês, no caso das equipes semifinalistas”, informa Juliana Gonçalves.

Outra característica da mentoria é a abordagem afetiva, possibilitada pelo vínculo que os mentores constroem com as equipes. A bióloga Keiciane Canabarro D. Marques (foto ao lado), mentora de uma das equipes destaca a importância da proximidade com os grupos, o que possibilita “um cuidado e olhar atento às equipes, questionando, refletindo junto e  orientando a fim de enriquecer mais ainda os trabalhos brilhantes que são desenvolvidos”.

“O trabalho dos mentores é desafiante no sentido de conquistar a confiança dos professores e estudantes e manter a originalidade do projeto sem perder a essência, e ao mesmo tempo contribuir com detalhes e refinamento das propostas”, afirma. 

Outro ponto de destaque no percurso da mentoria é o incentivo à colaboração não só entre os integrantes de cada projeto, mas entre as diversas equipes. As reflexões e os debates ocorrem em diferentes ambientes, com focos e estratégias diversas. O Papo com o mentor é o espaço de conversa da equipe com o seu mentor, onde podem combinar as reuniões semanais para discussão do projeto.

Já a Prosa com o mentor é o espaço de conversa dos professores com a mentora pedagógica do Prêmio, Mariana Lorenzin, em que podem esclarecer dúvidas práticas sobre as atividades que precisam desenvolver no âmbito do Prêmio. Ele se distingue do Café pedagógico, espaço de discussão em que os professores dialogam e refletem com Mariana sobre a prática docente, a partir de provocações semanais apresentadas em tópicos, de acordo com o percurso formativo da mentoria.

Por sua vez, o Conexão Equipes é o fórum em que estudantes e professores das diversas equipes finalistas, mediados por uma animadora do espaço, podem conversar e compartilhar suas ideias, dúvidas, percepções e experiências. 

Por fim, a Sala de Estudos é a biblioteca temática virtual, composta por materiais de apoio para aprofundamento de temas teóricos e práticos relacionadas ao Prêmio: STEM, conhecimento científico, sustentabilidade, aprendizagem por projetos, colaboração, cocriação, prototipagem e produção de vídeo.

Para a mentora Keiciane, doutora em Educação em Ciências na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), “a mentoria trouxe grandes avanços quanto à organização das rotinas de atividades, testagem de novos experimentos e no desenvolvimento de protótipos. Além de colaborar com ajustes, comentários e reflexões sobre detalhamentos e a divulgação dos projetos desenvolvidos”, conta.

Segundo Mariana Lorenzin, a participação e o retorno dos estudantes e professores tem sido muito positiva. "A cada semana, as discussões ficam mais ricas. Agora estamos aguardando o resultado final na I Mostra Respostas para o Amanhã."


Próximos passos

A mentoria às equipes finalistas vai até 17/11. Em seguida, inicia-se o período de avaliação dos projetos e votação popular. Confira as datas e participe com seu voto!

  • 12/11 a 18/11: Júri Popular - o público votará, através do site do Prêmio Respostas para o Amanhã, para escolher os 3 melhores entre os 10 vídeos finalistas. Não há limite de vídeos ou votos.
  • 18/11: I Mostra Respostas para o Amanhã - cada equipe finalista fará uma apresentação virtual de seus projetos para a Comissão Avaliadora, que selecionará 3 projetos vencedores nacionais.
  • 19/11: Divulgação dos vencedores -  resultado tanto dos 3 projetos eleitos pelo Júri Popular como dos selecionados pela Comissão Avaliadora será divulgado no site do Prêmio Respostas para o Amanhã.
TAGS: Percurso Formativo Prêmio STEM Ciências da Natureza Metodologia de Projetos Prática Educativa Conhecimento Científico

Comentários

Comentários